Box Set: Ozzy Osbourne – Blizzard Of Ozz & Diary Of A Madman (30th Anniversary Box Set) [2002]

17 de dezembro, 2012 | por Pablo Ribeiro
Resenha de Box Set
3

Por Pablo Ribeiro
John Michael Osbourne é um figura que dispensa comentários. Tendo atingido fama e respeito originalmente como vocalista do Black Sabbath, grupo do qual fez parte do final dos anos 60 até os últimos anos da década de 70, foi, também, responsável por uma carreira solo com altos e baixos, mas que, de uma forma ou de outra, o manteve ativo e vivo (como, exatamente, não se sabe, uma vez que o sujeito consumiu drogas em quantidade suficiente para entupir um planeta). 
Dentre os trabalhos mais marcantes do inglês – natural da cidade industrial de Birmingham – sem dúvida estão os seus dois primeiros álbums: Blizzard Of Ozz, de setembro de 1981, e seu sucessor, Diary Of A Madman lançado um ano depois. 
Contando com várias das canções mais cássicas de Ozzy, bem como muitas músicas que figuram entre as prediletas dos fãs, são exatmente esses dois discos que compõem o luxuoso Box-Set tema dessa resenha. Fazem parte do pacote os dois discos citados acima em dois formatos: LP e CD. 
Ozzy Osbourne e Randy Rhoads
Os LPs são reproduções fiéis – em vinis de 180g de alta qualidade – dos lançamentos originais de época, incluindo seus encartes em forma de envelope “dust-sleeves”. Já os CDs, remasterizados, trazem de volta as pistas gravadas originalmente pelo baterista Lee Kerslake e pelo baixista Bob Daisley (que haviam sido sumariamente limadas e substituidas por novas pistas gravadas por Mike Bordin e Robert Trujillo nas edições lançadas em 2002). 
A caixa contendo os quatro CDs e os dois LPs
Além disso, Blizzard of Ozz traz 3 faixas bônus: “You Looking At Me, Looking At You”, originalmente lado-b do single “Crazy Train”, uma versão apenas com vocais e guitarra para “Goodbye To Romance” e um curto outtake das sessões originais do álbum: a instrumental “RR”, na verdade um solo do guitarrista Randy Rhoads. Diary Of A Madman, apesar de não contar com faixas bônus, a exemplo do disco anterior, também teve suas pistas de áudio restauradas com os músicos originais. 
O material contido no Box
Ainda nos CDs, há um terceiro disco. Desta feita, trata-se de um show completo gravado na turnê de Blizzard of Ozz, em 1981. São onze faixas em aproximadamente uma hora, incluindo sete faixas do álbum citado, três clássicos do Black Sabbath, e uma música de Diary Of A Madman, que ainda viria a ser lançado. 
Um quarto disco, em DVD, contem o que muitos consideram o material mais importante aqui: o documentário “30 Years Of Blizzard”, contando com intrevistas recentes com figurinhas do naipe de Lemmy (Motorhead), Rob Halfrod (Judas Priest), Steve Vai, músicos que fizeram – e fazem – parte das bandas de Ozzy, como Bill Ward (Baterista da formação original do Black Sabbath), o baixista Blasko, e Zakk Wylde, que além de entrevistado, ainda reproduz alguns dos solos do falecido Randy. 
Ozzy e Randy on tour
Há, também, trechos de reportagens de época (1981/1982), e partes de três shows distintos: Palladium em 81 (gravado por um fã, da platéia, onze faixas incompletas em Super 8), a famosa apresentação no programa de TV “After Hours”, com 94 músicas (e uma entrevista) e 2 músicas (mais a intro) em Albuquerque, no Novo México (82). 
Além do material musical, a luxuosa caixa (pesando cerca de 4 kg distribuidos em 30cm de altura x 30cm largura e 6cm de altura) com acabamento simulando couro, e capa imitando metal, inclui um pôster gigante de duas faces e belíssimo livro de capa dura, com 100 páginas, contendo inúmeras fotos (99% delas, contando com Ozzy e/ou Rhoads. Nas restantes, o baterista Tommy Aldridge e o baixista Rudy Sarzo, que excursionaram com Osbourne na turnê de Diary of a Madman), e informações relacionadas às faixas dos discos incluídos no pacote. 
Para terminar, uma réplica (supostamente idêntica) da icônica cruz de ouro que o Madman usa no pescoço desde a época de Black Sabbath. Para os fãs da lenda Ozzy Osbourne, principalmente de sua fase inicial, esse box é uma pedida essencial. Além de trazer aquele que talvez seja o seu material mais representativo e criativo, representa uma época em que Osbourne fazia jus à alcunha de “Madman”, muito antes de se tornar uma espécie de fantoche da da ganância da própria esposa, ainda que vez ou outra, ainda hoje, acerte a mão em sua carreira musical. 
Conta-capa do Box set

Blizzard Of Ozz [30 Anniversary Remaster/Restored] 

1. I Don’t Know 
2. Crazy Train 
3. Goodbye To Romance 
4. Dee 
5. Suicide Solution 
6. Mr. Crowley 
7. No Bone Movies 
8. Revelation (Mother Earth) 
9. Steal Away (The Night) 
Bonus Tracks: 
10. You Looking At Me, Looking At You 
11. Goodbye To Romance (2010 Guitar & Vocal Mix) 
12. RR (Blizzard Of Ozz Outtake) 
Diary Of A Madman [30 Anniversary Remaster/Restored] 
1. Over The Mountain 
2. Flying High Again 
3. You Can’t Kill Rock And Roll 
4. Believer 
5. Little Dolls 
6. Tonight 
7. S.A.T.O. 
8. Diary Of A Madman 
Live At The Blizzard Of Ozz World Tour [Previously Unreleased] 
1. I Don’t Know 
2. Crazy Train 
3. Believer 
4. Mr. Crowley 
5. Flying High Again 
6. Revelation (Mother Earth) 
7. Steel Away (The Night) 
8. Suicide Solution 
9. Iron Man 
10. Children Of The Grave 
11. Paranoid 



3 Comentarios

  1. diogobizotto disse:

    Ainda não tive cacife ($$$) pra encomendar esse box, mas sem dúvida é dos que mais me atiçam. Sou fã do hômi e de Rhoads há praticamente 15 anos, e as músicas presentes nesses dois discos marcaram muito minha formação como ouvinte de rock. Gosto muito de "Bark at the Moon" e "No More Tears", mas não tem pra bater, "Blizzard of Ozz" e "Diary of a Madman" são seus melhores álbuns, difícil mesmo é escolher qual deles é o mais fantástico. Lembrando apenas que o primeiro foi lançado em 1980 e, o segundo, em 1981.

  2. micaelmachado disse:

    Estes também são meus álbuns favoritos de Ozzy solo (o primeiro mais que o segundo), e também ainda não tive $$$ para comprar. Mas um dia eu consigo!

    Parabéns pelo texto.

  3. Igor Maxwel disse:

    Outro ícone do rock que eu admiro muito por sua contribuição é o nosso Madman Ozzy Osbourne. Seja em carreira solo ou ao lado do Black Sabbath, ele sempre arrebenta. Quanto aos dois discos em questão, acho que eles demonstram a melhor fase de Osbourne em sua carreira solo, com o guitarrista Randy Rhoads, cuja morte prematura (com apenas 25 anos) resultou em uma das maiores perdas não apenas do rock, mas de toda a história da música. E se eu tiver que escolher apenas um destes álbuns para uma ilha deserta, eu escolho o primeiro, Blizzard of Ozz, por conter as músicas mais conhecidas da carreira de Osbourne (“Mr. Crowley” e “Crazy Train”, por exemplo). Já o Diary of a Madman é também um ótimo disco, mas que contém poucas músicas conhecidas do naipe do disco anterior, se Osbourne aproveitasse mais as outras, seria um álbum mais valorizado por todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *