DVD: Lobão – Lino, Sexy & Brutal DVD (2012)

18 de dezembro, 2012 | por davipascale
Resenha de DVD
2
Por Davi Pascale
O cantor e compositor Lobão invadiu as rádios de todo o Brasil na década de 80. Depois de emplacar vários hits nas FM´s, o cantor comprou uma briga com as grandes gravadoras e tornou-se independente. De lá para cá, Lobão ganhou respeito dos roqueiros e conseguiu alguns feitos (como a numeração dos discos), mas nunca mais conseguiu emplacar uma musica. Com uma carreira de mais de 30 anos, o artista carioca acaba de lançar seu segundo DVD.
Qual a diferença entre este trabalho e o anterior? Aqui está o registro do show elétrico. Certamente, é mais a cara do Lobão. No entanto, o vídeo peca em um pequeno detalhe. O músico optou por dar maior ênfase às canções mais novas no início do espetáculo e deixou a maior parte dos hits para a parte final. Com isso, o show demora para pegar no gás. Como havia dito anteriormente, o rapaz não emplaca uma canção há tempos. Portanto, ouvimos lado B atrás de lado B atrás de lado B. Dentre essas, as melhores continuam sendo “El Desdichado II” (uma das melhores letras escritas na história recente do rock brasileiro) e “A Vida É Doce”.
O cantor poderia ter intercalado as canções antigas e novas durante o espetáculo. Seria mais fácil de manter o pique. Também não tem como deixar de comentar que algumas musicas extremamente marcantes ficaram de fora. Entre elas: “Vida Louca Vida”, “Mal Nenhum”, etc. Mas… tudo bem. Afinal, são décadas de carreira e é impossível reunir tudo em uma única fita.
Mesmo assim, muitos dos seus hits estão aqui. Não ficaram de fora “Corações Psicodélicos”, “Vida Bandida”, “O Rock Errou”, “Me Chama”, “Decadence Avec Elegance”… Todas tocadas com uma garra capaz de dar inveja à muito garoto aí…

Respeitado por uns, menosoprezado por outros
O grande destaque do show, contudo, é a parte em que o guitarrista Luiz Carlini sobe ao palco para executar várias canções ao lado do músico carioca. Lobão aproveita a presença do ex-Tutti Frutti e relembra “Ovelha Negra” da cantora Rita Lee. Carlini, contudo, continua no palco para tocar junto vários dos antigos sucessos do amigo. Embora Lobão seja um bom instrumentista, não tem como deixar de reparar que Carlini dá um pau no rapaz. Se estivéssemos em outro país, esse cara seria um músico que teria mais reconhecimento. Como estamos no país do “tchu-thcu-tcha-ra-ra-tchu-tchu-tcha”, já viu…
Nos extras, há uma pequena entrevista com Lobão e seus músicos onde eles comentam a dificuldade de escolher setlist, qualidade de gravação, jabás, etc. Aqui, o músico comenta que esse é o primeiro registro onde ele ficou 100% satisfeito com o áudio. Eu juro que me recordo de ter escutado o mesmo discurso quando ele gravou seu primeiro DVD, o Acustico MTV. Enfim… Controvérsias à parte, o filme peca por ser curto demais. Quando o espectador começa a ficar animado com a entrevista, o filme acaba. Sem contar que esse cara tem muita história para contar. Dava para ter ido mais à fundo…
A qualidade de gravação do show realmente é muito boa para o padrão brasileiro e o vídeo deve agradar seus velhos e fiéis seguidores. No entanto, lembro que curti mais a apresentação do Universo Paralelo que chegou a ser gravada – e exibida – pelo Canal Multishow alguns anos atrás. Na época, o artista chegou a declarar que aquele material iria virar um DVD. Algo que nunca ocorreu. Se existir algum grande fã de Lobão por aí, gostaria de saber por que aquele projeto não foi para frente…
Espero que o cara não pare por aqui e nos brinde com um CD de inéditas em breve. É o tipo de artista que faz a diferença nessa cena rasa que o rock brasileiro está atravessando atualmente.
Lobão ao vivo
Track list
1. Não Quero o Seu Perdão
2. Vamos Para o Espaço
3. Bambina
4. Canos Silenciosos
5. Decadence Avec Elegance
6. El Desdichado II
7. Mais Uma Vez
8. A Vida É Doce
9. Você e a Noite Escura
10. Das Tripas Corações
11. Ovelha Negra
12. Balada do Inimigo
13. O Rock Errou
14. Essa Noite, Não
15. Me Chama
16. Radio Blá
17. Corações Psicodélicos
18. Vida Bandida
19. Por Tudo Que For



2 Comentarios

  1. ironicamente em seu livro ele mencionou que seus sucessos antigas mais atrapalhavam que ajudavam sua carreira nos tempos atuais,mas infelizmente seus tempos de hitmaker pertencem ao passado, o que ele lançou de irrelevante mesmo foi a sua auto biografia, que ficou muito interessante.

  2. Davi Pascale disse:

    Olá Sergio. Cheguei a comprar a biografia do Lobão, mas ainda não li. Está na fila hehehehe. Eu já assisti algumas entrevistas onde ele comenta que acha os discos dos anos 80 os piores da carreira dele e que ele ainda toca essas músicas em consideração aos fãs. Falando por mim, a fase dos anos 80 ainda é a que me agrada mais. Agora.. É uma pena que ele esteja rareando cada vez mais o lançamento de discos de estudio. Desde que começou a lançar discos pela Universo Paralelo, o cara soltou – se eu não me engano – somente 2 discos de inéditas: o genial A Vida é Doce (1999) e o Canções Dentro da Noite Escura (2005).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *