Cinco Discos Para Conhecer: Desmond Child

5 de fevereiro, 2016 | por Van do Halen
Cinco Discos Para Conhecer
7

M-Desmond-Child-Producer1

Por Weslei Varjão (publicado originalmente no site Van do Halen)

John Charles Barret, mais conhecido como Desmond Child, é com toda a certeza um dos maiores produtores musicais que já existiu. Além disso, foi compositor de clássicos de bandas como Aerosmith, Bon Jovi, KISS, Alice Cooper e Scorpions, só para citar algumas. Abaixo, cinco discos que trazem sua assinatura, como produtor. Ele participa ativamente de cada registro, inclusive compondo maioria, senão todas as canções.


R-2739685-1436611360-2411.jpegRobin Beck – Trouble Or Nothing [1989]

Se a esposa de James Christian teve alguma notoriedade no final dos anos 80, isso se deve ao brilhante trabalho de Child em seu segundo disco. Trouble Or Nothing o traz trabalhando com o que mais gostava, que era o Hard Rock melódico e grudento. Algumas de suas composições mais marcantes estão neste disco, na voz de Robin Beck. A fórmula foi mais que vencedora, pois a voz de Beck se encaixava perfeitamente às composições de Child. Suas composições especialmente para esse disco também foram certeiras, as baladas “Hold Back The Night” (esta com a ajuda de Alice Cooper) e “Tears In The Rain”. Um disco que carrega as características mais marcantes da fase oitentista de Desmond Child.

Robin Beck (vocal), Guy Mann Dude (guitarra), Steve Lukather (guitarra), Hugh McDonald (baixo), Greg Mangiafico (teclados), Bobby Chouinard (bateria)

1. Hide Your Heart
2. Don’t Lose Any Sleep
3. If You Were a Woman (And I Was a Man)
4. Hold Back the Night
5. Save Up All Your Tears
6. In a Crazy World Like This
7. Tears in the Rain
8. A Heart For You
9. Sleeping With the Enemy
10. First Time


12698053785_d9d73e6a7c_bAlice Cooper – Trash [1989]

Os anos 1980 estiveram longe de ser a melhor fase da carreira da tia Alice. Na segunda metade dessa década, ele conseguiu retomar a boa forma com discos como Constrictor e Raise Your Fist and Yell. Mas faltava um registro em que ele explodisse novamente. Esse objetivo foi conquistado através de sua parceria com Child, no vitorioso Trash. Com a participação de Desmond Child em todas as composições, Alice Cooper deixa um pouco do peso dos discos anteriores de lado e abraça o Hair Metal, em voga naquele momento. Decisão acertada, com músicas de forte apelo Pop. Sem falar no time de músicos que Child trouxe, abrilhantando ainda mais esse álbum, um dos maiores clássicos do Rock oitentista. De longe, o seu maior trabalho como produtor.

Alice Cooper (vocal), John McCurry (guitarra), Hugh McDonald (baixo), Bobby Chouinard (bateria)

Músicos adicionais:
Mark Frazier, Jack Johnson, Steve Lukather, Guy Mann-Dude, Joe Perry, Kane Roberts, Richie Sambora (guitarra)
Paul Chiten, Steve Deutsch, Gregg Mangiafico, Allan St. John (teclados)
Tom Hamilton (baixo)
Joey Kramer (bateria)

1. Poison
2. Spark in the Dark
3. House of Fire
4. Why Trust You
5. Only My Heart Talkin’
6. Bed of Nails
7. This Maniac’s in Love with You
8. Trash
9. Hell Is Living without You
10. I’m Your Gun


rattRatt – Detonator [1990]

O Ratt estava em uma fase decrescente de sua carreira. Os críticos desciam a lenha a cada trabalho que surgia e a banda já não possuía mais a força de seus dois primeiros trabalhos. Eis que mais uma vez Child é recrutado como “salvador da pátria”. Em Detonator, como de praxe, ele participa não apenas como produtor, mas de todo o processo de composição do grupo. Sua assinatura está em todas as composições, com exceção da instrumental “Intro To Shame”. Apesar de não mudar a reputação do grupo junto aos críticos, Desmond Child mudou bastante a sonoridade do Ratt neste álbum, tornando mais acessível ao público da época. Os maiores exemplos disso acontecem em canções como “One Step Away”, “Givin’ Yourself Away” e “Heads I Win, Tails You Lose”, que seriam impensáveis na fase de maior glória da banda.

Stephen Pearcy (vocais), Warren DeMartini (guitarra), Robbin Crosby (guitarra), Juan Croucier (baixo), Bobby Blotzer(bateria)

1. Intro to Shame
2. Shame Shame Shame
3. Lovin’ You’s a Dirty Job
4. Scratch That Itch
5. One Step Away
6. Hard Time
7. Heads I Win, Tails You Lose
8. All or Nothing
9. Can’t Wait on Love
10. Givin’ Yourself Away
11. Top Secret


Meat-Loaf-Bat-Out-Of-Hell-IIIMeat Loaf – Bat Out Of Hell III: The Monster Is Loose [2006]

Um dos maiores pepinos que Desmond Child teve em mãos. A obra de Meat Loaf e Jim Steinman é uma das maiores óperas-rock da história, mas seus criadores sempre viveram em rota de colisão. Isso piorou depois que decidiram fazer a terceira parte, em que um processava o outro para ser o dono da obra. Apesar de entrarem em acordo e Steinman concordar em participar da criação, a produção caiu nas mãos de Child. Porém, o produtor não deixou de ser um membro participativo na criação, co-escrevendo seis composições. Loaf afirmou que Child o fez se sentir ao lado de Steinman durante a gravação, devido às suas observações e colaborações sempre pontuais. Ele também assume os backing vocals de quase todas as canções. Não à toa que logo na capa do disco, os créditos são divididos entre Desmond e Jim.

Meat Loaf (vocal), Paul Crook (guitarra), Randy Flowers (guitarra), Kasim Sulton (baixo), Mark Alexander (órgão, piano), John Miceli (bateria), Patti Russo (vocais femininos), Kenny Aronoff (bateria)

Músicos adicionais:
John 5 (guitarra em 1)
Brian May (guitarra em 3)
Steve Vai (guitarra em 6)
Eric Bazilian (guitarra adicional)
Marion Raven (vocal em 3)
Jennifer Hudson (vocal em 13)

1. The Monster Is Loose
2. Blind as a Bat
3. It’s All Coming Back to Me Now
4. Bad for Good
5. Cry Over Me
6. In the Land of the Pig, the Butcher Is King
7. Monstro
8. Alive
9. If God Could Talk
10. If It Ain’t Broke, Break It
11. What About Love?
12. Seize the Night
13. The Future Ain’t What It Used to Be
14. Cry to Heaven


scorpions-humanity-hour-i-20140324195315Scorpions – Humanity: Hour I [2007]

Mudar o som de um dos gigantes do Hard Rock mundial e, ainda assim, nos brindar com um disco interessante. Essa foi a conquista que Desmond Child conseguiu com os alemães do Scorpions em Humanity: Hour I. O som do grupo foi modernizado, com uma pegada soturna, mas ainda assim inspirado e de ótima qualidade – como seria de se esperar desses alemães. A temática de um futuro não muito agradável, em que os humanos lutam por sua sobrevivência contra androides e máquinas, foi desenvolvida por Child. Não é à toa que possui a fama de hitmaker. Suas letras convencem a ter esperança mesmo em um mundo sem esperança. Mais uma vez, ponto para Desmond Child.

Klaus Meine (vocal), Matthias Jabs (guitarra), Rudolf Schenker (guitarra), Paweł Mąciwoda (baixo), James Kottak (bateria)

1. Hour I
2. The Game of Life
3. We Were Born to Fly
4. The Future Never Dies
5. You’re Lovin’ Me to Death
6. 321
7. Love Will Keep Us Alive
8. We Will Rise Again
9. Your Last Song
10. Love Is War
11. The Cross
12. Humanity

desmond2



7 Comentarios

  1. Marcel de Souza disse:

    O Desmão é um Midas! Ajudou muita gente a fazer grande sucesso, Kiss, Bon Jovi, etc. Tinha um tino para hits impressionante!

  2. Essa é a matéria sobre o Desmond Child eu já tinha pensado em fazer. Sorte que não me arrisquei, já que não conseguiria falar de outros discos se não fossem os mais óbvios. Eu teria esquecido de Ratt, Meat Loaf e nem sabia da Robin Beck… Boa!!!

    • maironmachado disse:

      Mas não deixe de fazer a sua Fernando. Desmond Child tem uma ampla variedade de álbuns que nunca é demais citá-lo

  3. leandro disse:

    Belo lembrete, o artigo tá muito bom

  4. Anônimo since 2011 disse:

    Segundo eu li na Roadie Crew, o Juan Croucier ou se foi o Roobin Crosby detestaram as composições do Desmond Child. Os caras do Ratt achavam que as composições do Desmond Child eram muito pops demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *