Entrevista Exclusiva: Justin Hackl (Native Daughters)

7 de março, 2017 | por maironmachado
Entrevistas
0

Por Mairon Machado

Cada vez mais ampliando horizontes, desembarcamos hoje nos Estados Unidos, mais precisamente na gelada Denver, no Colorado, para entrevistar o guitarrista do grupo Native Daughters, Justin Hackl. Um dos principais nomes da emergente cena instrumental atual, o grupo lançou seu segundo álbum no ano passado, Master Manipulator, o qual recebeu elogios por boa parte da imprensa especializada que teve contato com esse lançamento.

Em um bate-papo muito simpático, Justin nos conta como foram as gravações do disco, os planos da banda para os próximos meses, como a apresentação no SXSW Festival, que ocorrerá agora entre os dias 10 e 19 de março, em Austin, passeia rapidamente pela história da banda e muito mais. Confira abaixo as versões em português e em inglês da entrevista.


Native Daughters ao vivo

1. Caro Justin, obrigado pela entrevista. Conte-nos como foi 2016 para o grupo, e quais os planos para 2017.

2016 foi ótimo! Lançamos o álbum Master Manipulator, tocamos um punhado de shows e todos foram bons. Particularmente, os dois dias ao lado da The Budos Band, o show de lançamento do álbum, e tocar na livraria Mutiny durante o UMS Festival, em Denver, foram os meus favoritos.

Estamos agora trabalhando em algumas novas canções, e se pudermos voltar aos estúdios até o fim do ano para gravar um novo álbum, isto será incrível. Estaremos tocando agora no SXSW Festival, e temos alguns poucos shows agendados aqui em Denver, mas iremos estar a maior parte do tempo trabalhando em novas canções neste ano.

2. Os fãs finamente tiveram a oportunidade de receber o segundo disco da banda, o incrível  Master Manipulator. Por que demorou tanto tempo entre este e o lançamento de War Elephant, o primeiro álbum?

Desde o lançamento de War Elephant, tivemos o nascimento de três bebês, uma separação desagradável, e estivemos tocando muito. Foi difícil encontrar tempo, na realidade, para escrever material novo. E isto ainda é a realidade hoje. Mas finalmente estamos no caminho certo para nos concentrarmos e trabalharmos novamente.

3. Certamente, a principal característica do Native é um duo de baterias. Existem poucas bandas com esse tipo de formação. Lembro de The Allman Brothers Band, Doobie Brothers, Genesis em alguns momentos, …, mas isso não é comum para o tipo de som que vocês fazem, mais pesado e intenso. De onde surgiu a ideia?

Ingressei na banda cerca de um ano depois de ela ter começado. Acredito que Eddie (Maestas, guitarra) e Tom (Thomas Chagolla, bateria) estavam ensaiando na casa de Colin (Madden, bateria) e Colin ouviu o que eles estavam fazendo e quis ser parte disto. Não era o propósito. Apenas não disseram não.

Native Daughters: Eddie Maestas, Gene Martinez e Justin Hackl (acima); Colin Madden e Tom Chagolla (abaixo).

4. Da mesma forma, todas as canções do Native Daughters são instrumentais, com exceção de algumas palavras faladas na faixa-título de War Elephant e em “The Glowing”. Por que vocês escolheram não ter vocais?

Não saberia dizer que tipo de vocais poderiam encaixar-se no nosso som. Nenhum de nós quer gritar ou cantar. Embora Gene (Martinez, baixo) possa fazer uma voz de falseto tipo o heavy metal oitentista. Não faz nenhum sentido em ter vozes, apenas isto.

5. War Elephant foi lançado em um belíssimo vinil picture disc, com seu incrível trabalho de arte. Os mesmo ocorreu com Master Manipulator, com aquelas impressionantes imagens em verde e roxo. Por que vocês escolheram esse tipo de lançamento??

O picture disc de War Elephant é na realidade a segunda prensagem. Lançamos aquele disco financiado por nós mesmos. Quando encontramos com a Sailor Records, o disco estava fora de prensagem. Nós gostamos tanto da arte da capa que pensamos que iria ser legal fazer um picture disc para a segunda prensagem, a qual também já está fora do mercado.

Com Master Manipulator, tivemos a sorte de ter Paul Romano para fazer aquela pintura surpreendente. Quando vimos a capa queríamos colocar isto no vinil. Então, verde e roxo fizeram sentido. Esta prensagem já está quase esgotada agora. Então, iremos ter que vir com algo novo para a próxima prensagem.

A bela prensagem em picture disc do primeiro álbum

6. Quais as principais diferenças que você percebe entre os dois lançamentos no sentido que cinco anos se passaram entre eles?

Tentamos uma afinação diferente e mais baixa em poucas canções de Master Manipulator. Isto fez soar um pouco mais pesado. Também, mais da metade de War Elephant havia sido escrita antes de eu entrar na banda. Com Master Manipulator, fui parte do processo de escrita de cada som. Trabalhar com Dave Otero para Master Manipulator foi uma experiência nova e muito diferente de qualquer coisa que tenhamos feito antes.

7. Ao ouvir as canções de Master Manipulator, percebo várias similaridades entre este e o álbum anterior, como as melodias grudentas, que nos fazem cantá-las mesmo quando não estamos mais as ouvindo, as camadas de distorção e claro, o impactante som das baterias. Como é feito o processo de criação das músicas?

Pedais de Delay e maconha.

8. Hahahaahahaha. Por outro lado, é difícil para mim identificar similaridades entre suas canções e as de outras bandas. Vocês são muito originais para os dias de hoje, parabéns!! Poderia citar algumas referências de Isis em alguns pontos, mas isto não é tão óbvio. Quais são as principais referências e influências da banda?

Obrigado! Isis definitivamente é uma influência. Amo muito Snapcase e Helmet também. Honestamente, isto depende de qual semana você perguntar. Amo todos os tipos de música. Esta semana tenho ouvido muito Meshuggah e Gojira. Mas dois meses atrás eram todos os do Steely Dan, America e Thin Lizzy. Alguns meses será Lagwagon e Jimmy Eat World. Vários de nós ouvimos todos os tipos de diferentes coisas. Então, eu realmente não sei se existe uma influência principal na banda. Escrevemos aquilo que pensamos ser boas músicas para nós e seguimos a partir dali.

Justin em ação

9. Escolhi Master Manipulator um dos dez melhores álbuns de 2016. Principalmente, amo três faixas: “Sleep Lump”, “Happy New Year, Nurse” e “Duke”. Conte-me sobre a história delas.

Novamente, obrigado! “Happy New Year, Nurse” foi a primeira canção que escrevemos após War Elephant ser lançado, então é a mais velha. “Duke” veio pouco depois, e foi a primeira vez que experimentamos com tons mais baixos. “Sleep Lump” foi escrita no Natal de 2014. Eddie e eu não tínhamos família ao redor naquele dia, e decidimos ir para nosso local de ensaio e trabalhar em novas canções. Aí a canção aconteceu.

10. Temos também uma separação democrática, com canções específicas para guitarra: “Goodnight Little B”, por você, e “Master Manipulator”, por Eddie. Como esta divisão apareceu durante a gravação do álbum?

Queríamos ter algumas partes somente com guitarra para este álbum. Sem nenhuma razão especificamente. Eu tinha “Goodnight Little B”, que era uma canção que escrevi e ainda toco para minha filha antes de ela ir dormir, e Eddie a sua.

11. Como estão os shows e a promoção de Master Manipulator, bem como a receptividade da mídia fãs tanto nos Estados Unidos quanto no mundo.

Acredito que ok. Não damos muita atenção para este tipo de coisa. Tocamos a maioria dos shows aqui em Denver e nossos shows são sempre explosivos! Devemos excursionar algum dia.

12. E América do Sul? Existe alguma expectativa de virem aqui promover seus álbuns?

Iríamos amar, mas há estas crianças malditas que nós temos que fazer crescer e conseguir seus trabalhos!!

13. Master Manipulator é um álbum forte, mas isto faz aumentar nosso apetite por mais canções. Quando podemos ter novidades sobre o terceiro álbum?

Esperamos que ao redor desta época, no ano que vem.

O grupo ensaiando durante o Natal de 2015

14. Conte-nos alguma curiosidade ou história engraçada envolvendo alguma gravação ou apresentação da banda.

Colin tem que usar roupas íntimas femininas quando ele grava. É a única maneira que ele se sente confortável.

15. Por favor deixe uma mensagem para seus fãs no Brasil, e obrigado por sua atenção. Um ótimo 2017 de sucesso, saúde e paz.

Muito obrigado por tudo! Ficamos deslumbrados que alguém fora de Colorado saiba sobre a banda. Mas quando alguém de um país diferente nos encontra, e então nos entrevista, isto realmente é um tratamento especial. Ficamos muito agradecidos quando alguém nos descobre e se preocupa o suficiente para nos informar. É muito gratificante.


English Interview

More and more broadening horizons, we landed today in the United States, more precisely in the cold Denver, Colorado, to interview the Native Daughters’ guitarist Justin Hackl. One of the leading names in the current instrumental metal scene, the group released their second album last year, Master Manipulator, which garnered praise of the press.

In a very friendly chat, Justin tells us about the band’s recordings, the plans for the coming months, such as the SXSW Festival show, which will take place between 10 and 19 of March, at Austin, a little about the band’s history and more. Check out the Portuguese (above) and English versions of the interview below.

The band, caught in the act

1. Dear Justin, thank you for this interview. Tell us how was 2016 for the band, and what are your plans to 2017.

2016 was great! We release the album “Master Manipulator”, played a handful of shows and all of them went well. Particularly the 2 day run with The Budos Band, the album release show, and playing Mutiny book store during the UMS festival in Denver were my personal favorites.

Right now we have a couple of new songs in the works and if we can be back in the studio by the end of the year for a new album, that would be awesome! We’re playing SXSW festival in March and have a few shows booked here in Denver but we’ll mostly be working on new songs this year.

2. The fans finally had the possibility to receive the second album of the band, the awesome Master Manipulator. Why so much time since the launch of War Elephant?

Since the release of “war elephant”, we’ve had 3 babies born, a nasty divorce, and have been playing a lot. It was hard for us to find the time to actually write new material. That is still true to this day. But we’re finally on the right path to concentrate and get working again.

Poster of SXSW Festival, with Native Daughters

3. Certainly, the main characteristic in the band is a duo of drums. There are few bands whit this kind of line-up. I remember The Allman Brothers Band, Doobie Brothers, Genesis in some days, …, but is not usual for the kind of sound that you make, more heavy and strongly. Where did come this idea?

I joined the band about a year after they had started. My understanding is that Eddie(Guitar) and Tom(Drums) were practicing at Colin’s(drums) house and Colin heard what they were doing and wanted to be a part of it. It wasn’t on purpose. They just didn’t say no.

Justin Hackl

4. In the same way, all the Native Daughter’s songs are instrumental songs, with exception some words spoken in War Elephant’s title song and “The Glowing”. Why did you choose to not have vocals?

I wouldn’t even know what kind of vocals would fit over this. None of us want to scream, and none of us want to sing. Although Gene (bass) can do a mean 80’s metal falsetto voice. It just doesn’t make sense for us to do it.

5. War Elephant was launched in a beautiful pictured disc vinyl, with it’s incredible art work. The same comes to Master Manipulator, with that impressive Green and Purple Haze pictures. Why do you choose this kind of release?

The picture disc for War Elephant is actually the 2nd pressing. We released that album by ourselves. When we met up with Sailor Records, that album was out of print. We liked the art work so much that we thought it would be fun to do a picture disc for the 2nd pressing. That pressing is now gone too.

With Master Manipulator we were fortunate enough to have Paul Romano so that amazing painting. Once we saw the cover art we wanted to match it with the vinyl. So green and purple just made sense. That pressing is almost gone now too. So we’ll have to come up with something for the next pressing.

6. What are the main differences that you see between the two records in the sense of that five years have passed since the first release?

We tried a different and lower tuning on a few songs for Master Manipulator. That made it a little heavier sounding. Also more than half of War Elephant had been written before I joined the band. With Master Manipulator, I was part of the writing process for every song. Also working with Dave Otero for Master Manipulator was a new experience and a very different approach to tracking than any of us have done before.

7. Listening to Master Manipulator songs, I noticed several similarities between this one and its predecessor album, like the sticky melodies of the guitar, that make us sing it even after not listening anymore, the layers of distortion and of course, the huge drums sounds. How does the song creation process come about?

Delay pedals and weed.

The beautiful picture disc of Master Manipulator

8. Hahahaaha. On the other hand, it is difficult to me to identify some similarity between his songs with other bands. You are very original nowadays, congratulations!! I might cite that there is some reference to Isis band at some points, but this is not so obvious. What are the main references and influences of the band?

Thank you! Isis is definitely an influence. I love Snapcase and Helmet a lot too. It honestly depends on what week you ask. I love all sorts of music. This week its been a lot of Meshuggah and Gorjira. But two months ago it was all Steely Dan, America, and Thin Lizzy. Then some months it’s all Lagwagon and Jimmy Eat World. Several of us listen to all sorts of different things. So I really don’t know if there’s a main influence on the band. We write whatever we think sounds good to us and just go from there.

9. I choose Master Manipulator one of the ten 2016’s albums. Mainly, I love three songs: “Sleep Lump”, “Happy New Year, Nurse” and “Duke”. Tell me about the history of these songs.

Again, Thank you! “Happy New Year, Nurse” was the first song we wrote after War Elephant was released so it’s the oldest one. Then “Duke” shortly came after that and was the first time we messed with the lower tuning. “Sleep Lump” was written on Christmas Day of 2014. Eddie and I didn’t really have family to be around that day and decide to go to our practice spot and work in new songs. The song is what happened.

10. We have too a democratic separation, with specific songs for guitar: “Goodnight Little B”, by yourself, and “Master Manipulator”, by Eddie Maestas. How this division appeared during the album recording?

We wanted to have some guitar only parts for this album. No specific reason really. I had “Goodnight Little B” as it was a song I wrote and still play to my daughter before bed time. And Eddie and his.

Justin and his guitar

11. How are the shows and promotion of Master Manipulator, as well as the receptivity of media and fans in the United States and worldwide.

I think ok? We don’t pay too much attention to that stuff. We play in Denver mostly and our shows here are always a blast! We might tour someday.

12. What about South America? Do you have some expectations to come here to promote your albums?

We would love to, but these damn kids we have need to grow up and get jobs!!

13. Master Manipulator is a strong album, but it raises our appetite for more songs from the band. When can we get news for a third album?

Hopefully around this time next year.

14. Tell us some curiosities or funny facts involving some recording or presentation of the band.

Colin has to wear woman’s thong underwear when he records. It’s the only way he feels comfortable.

15. Please leave a message for your fans in Brazil, and thank you for your attention. Have a great 2017 of success, health and peace

Thank you so much for everything! We’re blown away that anyone outside of Colorado knows about our band. But when someone from a different country finds out about us, then interviews us, it’s really a special treat. We are very thankful when anyone discovers and cares enough to let us know. It is very appreciated.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *